Tonterías, Baloney, Bêtise, Albernheit…

Arquivo para a categoria ‘Prato salgado’

Risoto de tomate seco, queijo e manjericão; e Pudim

Fim de semana passou e com ele comidinhas gostosas em casa para a inauguração de panela Lekssa. Sim, na pegada aniversário de cachorro, pretexto para reunir os amigos, prosear, comer e beber.

O cardápio escolhido foi Risoto de Tomate Seco, mussarela de Búfala e manjericão, originalmente retirada aqui e de sobremesa pudim, “simples” assim.

Não reparem em tantas partes laranjas, bati recorde de adaptação 😛

Ingredientes
2 xícaras (chá) de arroz arbóreo (usado só uma caneca)
10 folhas de manjericão (foi a gosto, 10 tava muito pouco)
4 colheres (sopa) de manteiga (só usei uma com um pouco de azeite)
1/2 cebola (coloquei uma cebola pequena inteira)
2/3 xícara (chá) de mussarela de búfala (como tinha queijo minas de búfala em casa, foi o que usei)
100 g de tomate seco
1,3 l de caldo de legumes (se for usar cubo, dissolva apenas 1)
1/2 xícara (chá) de vinho branco seco (usei tinto mesmo porque foi o que meu amigo Marcelo levou, ficou gostoso também, mas rosado, na próxima, usarei o branco mesmo 😛 )
5 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado (um pacotinho de 100g)
sal e pimenta-do-reino a gosto (coloquei alho e noz moscada a gosto também)

Modo de Preparo
1. Lave as folhas de manjericão sob água corrente.

2. Numa tábua, pique a cebola (eu uso meu mini processador, tudo bem picadinho e sem lágrimas, muito prático) e a mussarela de búfala. Corte o tomate seco em tiras.

3. Leve uma leiteira com o caldo de legumes ao fogo alto. Quando ferver abaixe o fogo.

4. Enquanto o caldo aquece, coloque 2 colheres (sopa) de manteiga numa panela e leve ao fogo baixo (coloquei apenas uma junto com azeite a gosto). Quando a manteiga derreter, junte a cebola picada e refogue (coloquei o alho nessa hora também), mexendo bem, até que fique transparente.

5. Aumente o fogo e acrescente o arroz. Refogue por 2 minutos, mexendo sempre.

6. Adicione o vinho e misture bem até evaporar.

7. Quando o vinho secar, acrescente o caldo de legumes ao risoto aos poucos, mexendo sem parar. Quando secar, adicione mais caldo e repita a operação por, aproximadamente, 15 minutos sempre em fogo alto.

8. Verifique o ponto: o risoto deve ficar cremoso, mas os grãos de arroz devem estar al dente, ou seja, um pouco durinhos. Se ainda estiver muito cru, continue cozinhando por mais 1 minuto. Caso seja necessário, junte um pouco mais de caldo e mexa bem. Na última adição de caldo, não deixe secar completamente ou o resultado será um risoto ressecado.

9. Quando o risoto estiver no ponto, junte o tomate seco e o parmesão. Misture bem e desligue o fogo.

10. Coloque as 2 colheres (sopa) de manteiga restantes e as folhas de manjericão sem misturar. Tampe a panela.

11. No momento de servir, acrescente a mussarela de búfala e misture bem. Tempere com pimenta-do-reino moída na hora e sirva imediatamente.

Bom, pode-se fazer seguindo essa receita OU refogando todos os ingredientes (exceto manjericão e o queijo ralado) antes de acrescentar o vinho e o caldo. Coloquei o queijo minas porque, ao contrário da mussarela, não fica “puxento”. Enfim, foi a primeira vez que fiz com a supervisão de Marcelo, achei super fácil e mega gostoso!!!

Foi primeira vez também que fiz pudim, creia! E creia também que levei uma surra, mas ao comentar com umas colegas do trabalho, descobri que a receita que peguei aqui estava equivocada…

Ingredientes

Calda

1 xícara (chá) de açúcar

Pudim

1 lata de Leite MOÇA®
2 medidas (da lata) de Leite Líquido NINHO® Integral (aqui está o problema! Não encontrei o Ninho e usei leite normal. Me disseram que geralmente é 1 medida de leite condensado para 1 de leite. Não sei se o Ninho é diferente, mas não deu certo, ficou muito mole.)
3 ovos

Modo de Preparo

Calda:
Em uma panela de fundo largo (usei a assadeira mesmo), derreta o açúcar até ficar dourado. Junte meia xícara (chá) de água quente e mexa com uma colher. Deixe ferver até dissolver os torrões de açúcar e a calda engrossar. Forre com a calda uma forma com furo central (19 cm de diâmetro) e reserve.
Pudim:
Em um liquidificador, bata todos os ingredientes do pudim e despeje na forma reservada. Cubra com papel-alumínio e leve ao forno médio (180°C), em banho-maria, por cerca de 1 hora e 30 minutos. Depois de frio, leve para gelar por cerca de 6 horas. Desenforme e sirva a seguir.
DICAS:
– É essencial que o pudim seja preparado em banho-maria para que asse de forma lenta e controlada, para atingir a textura ideal.
– Para que o seu pudim não forme furinhos, verifique se a temperatura do forno está regulada conforme indicação da receita. Leve a forma ao forno na grade superior, longe da chama (para poder desenformar).

Bom, o sabor não tinha como dar errado, mas a consistência… Bebemos pudim, até porque não me atentei do tempão na geladeira. O melhor, acredito, é fazer de um dia pro outro para ficar bem geladinho. Preciso empatar esse jogo porque, por enquanto, está 1×0 pro pudim ¬¬

Anúncios

Torta Cheia de Coisa

teiga

Meus amigos do Facebook sabem que fiz nos últimos dias cursinhos gastronômicos.
Como temos de colocar as coisas que aprendemos na prática para fixar, hoje tive a oportunidade de fazer uma para o aniversário de minha querida professora de francês.
Essa receita aprendi na aula de salgados finos com Luzinet Veiga, originalmente era pra ser mini quiche, mas resolvi arriscar como uma torta salgada, já que ela garantiu que não haveria problema.

Torta Cheia de Coisa

Imagem do celular

Ingredientes:
*Massa:
500 g de farinha de trigo
250 g de manteiga
2 ovos inteiros
1 colher de chá de sal (achei muito, coloquei menos, no feeling)
1 pitada de fermento (não usei porque optei por farinha de trigo com fermento)
Leite se necessário para dar liga na massa (não precisei)

*Recheio
300 g de ricota (usei um pacote todo de 380 g)
1 xícara de seleta de legume (usei 1 lata)
100 g de chester moído (optei por peito de peru defumado 1 bandejinha com 156 g)
Aji-sal com pimenta a gosto (usei o sal e a pimenta do reino comuns)
1 colher de sopa de cebola ralada (usei 2 pra dar mais sabor)
(Acrescentei um pouco de orégano)

*Molho:
350 ml de leite
1 colher de sopa de amido de milho
100 g de toucinho defumado e picado (usei uns 125 g de bacon)
Aji-sal a gosto (usei um pouquinho só de sal comum)

Modo de fazer:
*Massa:
Junte todos os ingredientes até obter uma massa homogênea.

*Recheio:
Misture todos os ingredientes

*Molho:
Frite o bacon e, em seguinte, bata com todos os outros ingredientes no liquidificador.

Montagem:
Forre uma forma de fundo falso com a massa, não é necessário untar. Coloque o recheio e o molho por cima. Salpique queijo ralado e leve ao forno (o meu foi médio) até dourar a massa.

O sucesso é garantido 😉

Pâté Chinois

Petiscos no post anterior e agora o prato principal.Contrariando a foto, não se trata de uma canjica. O prato é típico de Québec e fiz questão de fazê-lo para receber a turma do curso de francês.
Peguei a receita aqui. Ao contrário do que normalmente faço, não sem quase nenhuma adaptação, segui a risca ao máximo, já explico, vamos à receita:

Ingredientes
* 3 batatas médias
* 40 ml de leite
* 5 ml de óleo
* 1/2 cebola cortada bem fininha
* 250 g de carne moída magra
* 284 ml de milho cremoso em lata (não encontrei isso, substitui por creme de milho)
* Sal, pimenta e páprica a gosto

Modo de Preparar
Cozinhe as batatas em água levemente salgada, já descascadas. Frite a cebola e junte a carne moída até que fique douradinha. Retire o excesso de gordura da carne e tempere com sal e pimenta-do-reino. Coloque a carne em um refratário. Sobre a carne coloque o milho. Amasse as batatas e coloque o leite aos poucos para dar cremosidade. Salgue a gosto o purê. Coloque sobre o milho o purê. Salpique com páprica (opcional). Leve ao forno ate que fique dourado. Sirva com bastante catchup, fica uma delícia.

Ressalvas:
Teria feito a carne diferente. Não dispenso uns temperos, teria incrementado com alho, tomate, cheiro verde etc. Achei que ficou super pálido.
Uma coisa importantíssima: retire o excesso da água. Eu fiquei preocupada porque minha professora (que é de Québec) comentou que a carne daqui era diferente, que ficava ressecado etc daí optei por deixar o pouquinho da água que a carne soltou quando cozinhei, só que me esqueci de uma pequeno detalhe: ao levar ao forno ela soltou mais água. Enfim, tire o excesso para não ter erro.
Fora isso, reconheço que esqueci do catchup, talvez tenha sido isso que ficou faltando para dar mais gosto a esse prato que achei meio insosso 😦

Nuvem de tags